FICAR RICO PARA PARAR DE TRABALHAR

O sonho de todo brasileiro é um dia ficar rico para parar de trabalhar. Não é a toa que em dia de megasena acumulada as casas lotéricas ficam lotadas. Mas você já parou para observar que quanto mais rico a pessoa é mais ela trabalha? Observe a lista dos homens mais ricos do Brasil no artigo “Por que alguns ricos trabalham tanto” que foi publicado no Clube dos Poupadores.

Na tabela que existe no artigo você verá a idade dos mais ricos. Todos possuem mais de 65 anos e muitos estão na casa dos 80. Pesquisando um pouco você vai constatar que todos ainda trabalham. Você no lugar deles estaria curtindo os bilhões de reais ou continuaria trabalhando igual um louco? Na verdade estas pessoas da lista não possuem mais tempo para curtir todo dinheiro que possuem. Talvez gastar o dinheiro e comprar tudo que ele pode comprar não tenha produzido a satisfação que o trabalho bem feito produz.

Na verdade trabalho é aquilo que fazemos sem gostar. Quem trabalha em alguma coisa que gosta não se sente trabalhando. É como a imagem que foi publicada no Facebook que mostra esta realidade “Escolha um trabalho que gosta e nunca terá que trabalhar na vida“.

Leia o artigo completo  “Por que alguns ricos trabalham tanto”  e descubra que as pessoas ricas encaram o trabalho de uma forma diferente e por isto suas vidas acabam mudando para melhor. Compartilhe com seus amigos, principalmente aqueles que sonham em serem ricos e não sabem por onde começar.

FINANCIAMENTO PARA FAZER FACULDADE

O governo oferece financiamento para quem não consegue estudar gratuitamente em universidades públicas. Isto normalmente ocorre quando o estudante não tira boa nota no ENEM ou quando na cidade onde mora só existe o curso que deseja fazer na rede privada. Muitos pais que não possuem condições de pagar a faculdade dos filhos se perguntam ser realmente vale a pena utilizar programas de financiamento como o FIES do governo federal. Leia mais sobre o FIES…

Primeiro é importante destacar que o FIES não oferece educação gratuita em escolas particulares. O FIES é um financiamento como qualquer outro. Durante o tempo que o estudante estiver matriculado só fará o pagamento de juros de no máximo R$ 50,00. Depois de formado existe um período de carência de 18 meses e em seguida ele deverá pagar toda a dívida em um prazo de até 3 vezes o tempo de duração do curso acrescido de 1 ano. Se o curso que você pretende fazer tem duração de 5 anos o FIES deverá ser pago em 16 anos ou 192 parcelas mensais.

Só que existem estratégias para que o FIES saia praticamente de graça para você. Durante o tempo que estiver matriculado você pode começar uma poupança e investir o salário que você recebe no estágio. Os juros que você irá ganhar mensalmente serão suficientes para pagar o FIES. Isto é possível porque a taxa de juros anual do FIES é de 3,4% ao ano e qualquer investimento financeiro paga mais de 6% de juros ao ano.

Para saber como esta estratégia funciona leia o artigo: FIES, vale a pena? clicando aqui. No endereço você também poderá baixar uma planilha gratuita que permite simular o investimento para pagar o FIES.

É MELHOR ALUGAR IMÓVEL OU COMPRAR IMÓVEL FINANCIADO?

Hoje vou indicar para vocês um ótimo simulador para descobrir se é melhor alugar um imóvel, poupar e investir dinheiro para comprar um imóvel à vista no futuro ou se é melhor comprar logo um imóvel financiado. Esta é a dúvida de milhares de brasileiros. E a resposta para esta questão depende de muitos fatores. Através do simulador criado em uma planilha excel você poderá fazer suas próprias avaliações levando em consideração diversos fatores.

Você pode indicar na planilha a taxa de juros cobrada por um financiamento e a taxa de juros paga por um investimento. Além disto pode informar o preço do aluguel e preço do imóvel que você deseja comprar. A planilha fará cálculos de matemática financeira de forma automatizada e rapidamente você terá respostas para diversas questões.

  1. Será que é melhor investir o dinheiro, esperar e comprar o imóvel no futuro?
  2. Será que pagando aluguel é possível juntar dinheiro e investir? Será que compensa?
  3. Se você escolher um imóvel com aluguel mais barato ou mais caro? Qual será o impacto desta decisão no futuro?
  4. E como fica se a taxa de juros pagas pelos investimentos subir? Isto normalmente acontece quando a taxa básica de juros (SELIC) está subindo no Brasil.
  5. Com o aumento da taxa de juros cobrada pelos bancos para financiamento de imóveis será que vale a pena comprar financiado?

Estas e muitas questões podem ser resolvidas usando esta planilha. Para ver alguns exemplos de simulações e para baixar a planilha leia a matéria completa no site Clube dos Poupadores. E se você possui algum amigo ou parente na dúvida se compra um imóvel ou mora de aluguel indique este artigo para ele. Com certeza irá ajudar muito.

ECONOMISTA DIZ QUE PREÇO DE IMÓVEIS PODE CAIR

Conforme a matéria “Economista prevê bolha imobiliária no Brasil” uma queda acentuada no preço dos imóveis pode estar por vir. Isto é o que diz o economista Robert Shiller, o mesmo que previu a bolha imobiliária nos EUA no ano de 2008. Segundo ele o preço dos imóveis no Brasil subiram muito em um curto espaço de tempo. Em alguns estados os preços dobraram nos últimos anos e mesmo assim nos últimos 12 meses, o aumento dos preços do metro quadrado em 16 capitais foi de em média 12,3%.

Compartilhe a imagem abaixo no seu Facebook e alerte seus amigos.

Muitos brasileiros se perguntam neste momento se é melhor comprar um imóvel financiado agora ou se é melhor esperar. Este assunto foi discutido no Livro Negro do Financiamento de Imóveis lançado recentemente.

Se o economista americano estiver certo o melhor é não comprar um imóvel agora, principalmente se for financiado. Se você fizer isto estará financiando um imóvel com preço muito elevado e no caso de uma bolha o preço dos imóveis tendem a despencar. Já se você optar por não comprar imóveis agora estará colaborando para o desaquecimento do mercado e se ocorrer a bolha poderá aproveitar as oportunidades que irão surgir.

O problema é que no caso de um agravamento na economia que leve a uma bolha os bancos não irão oferecer crédito imobiliário com facilidade. É provável que a taxa de juros suba. E quem não tem dinheiro para comprar o imóvel à vista vai continuar sem dinheiro e com um financiamento mais difícil de conseguir. Quem entende de educação financeira e é poupador vai se beneficiar com a queda dos preços pois terá dinheiro vivo para negociar descontos ainda maiores com aqueles que querem se desfazer de seus imóveis. Para aprender mais sobre educação financeira clique aqui.

PLANILHA PARA SIMULAR FINANCIAMENTO DA CASA PRÓPRIA

Baixe gratuitamente uma planilha para simular o financiamento da casa própria no seu computador. A planilha Excel foi desenvolvida pelo site Clube dos Poupadores que oferece conteúdo de Educação Financeira grátis na internet. Como você já deve saber o sistema de amortização mais utilizado pela Caixa Econômica Federal e em outros bancos para oferecer crédito imobiliário é o Sistema de Amortização Constante. Ele também é conhecido como tabela SAC e sua vantagem é permitir prestações decrescentes, ou seja, prestações que ficam cada vez menores com o passar do tempo.

O site Clube dos Poupadores publicou um texto que permite qualquer pessoa leiga entender como a Caixa e outros bancos calculam o valor das prestações da casa própria. Leia o artigo sobre o Sistema de Amortização Constante clicando aqui.

A planilha permite simular o financiamento de qualquer imóvel para pagamento em até 35 anos (420 prestações) que é o limite atual proposto pela Caixa. Clique aqui para baixar a planilha da Tabela SAC. Você só precisa informar o valor que deseja financiar, o número de parcelas e a taxa de juros. Atualmente a Caixa trabalha com taxas de juros de 5% e 7% pelo programa Minha Casa Minha Vida. Para quem não se enquadra no programa é interessante fazer a simulação com taxas entre 10% e 11%. Veja a tabela dos juros cobrados de quem pode participar do Minha Casa Minha Vida.

Você pode se tornar assinante gratuito do site Clube dos Poupadores e com isto será informado sempre que novos artigos ou planilhas gratuitas forem publicados no site. Existe muito material sendo desenvolvido neste momento. Basta assinar sem pagar nada clicando aqui.

Compartilhe esta dica com seus amigos e parentes. Educação Financeira é muito importante na vida da pessoas.

JUNTAR DINHEIRO OU FINANCIAR IMÓVEL

Esta é uma dívida enfrentada por muitos brasileiros diante do cenário econômico atual. Será que é Financiar Imóvel ou juntar dinheiro para comprar um imóvel à vista?  Será que o preço dos imóveis vão continuar subindo? Financiar um imóvel que está muito valorizado é um bom negócio? Você já deve ter percebido que a economia não está tão bem como esteve alguns anos através na época em que o preço dos imóveis dispararam.

Muita gente comprou imóvel no desespero quando percebeu que o dinheiro que tinha perdia valor diante da enorme valorização imobiliária. O fato é que aquele período de forte valorização já acabou. Desde 2012 o preço dos imóveis estão acompanhando a inflação e em algumas cidades do país ocorreu até queda nos preços. As construtoras estão enfrentando queda nas vendas e suas ações estão perdendo valor na bolsa de valores. A inflação está voltando e já corrói a renda dos brasileiros. O governo voltou a aumentar a taxa de juros e isto vai desestimular o consumo e desaquecer a economia.  Já viu como anda o dólar? E como será o impacto deste recente aumento do dólar na inflação? A insatisfação da população já aparece nas ruas.

Será que realmente é o momento correto de encarar um financiamento de 20 ou 30 anos para comprar um imóvel supervalorizado (os preços estão no topo) e ficar amarrado a este endividamento diante da possibilidade de um agravamento dos problemas na nossa economia? Até que ponto estes problemas podem afetar o emprego das pessoas no curto e médio prazo?

Para que você possa refletir sobre este assunto recomendo que você leia o artigo “Financiar Imóvel ou juntar dinheiro para pagar à vista“.  Se você possui algum amigo ou parente que pretende comprar um imóvel financiado nos próximos anos indique este artigo para ele. Também recomendo que você faça o download do Livro Negro do Financiamento de Imóveis antes de financiar qualquer coisa nos próximos anos.

PREÇO DO METRO QUADRADO NAS CAPITAIS 2013

Veja uma tabela que mostra o preço médio do metro quadrado dos imóveis anunciados nas principais capitais do Brasil usando como fonte de informação o Fipezap. É importante destacar que estes valores são com base no preço de imóveis que foram anunciados no site das imobiliárias. Isto significa que os preços são menores dependendo da sua capacidade de negociação. Para quem não sabe negociar e simplesmente pede um desconto é comum conseguir 5%. Já para aqueles que dominam as técnicas de negociação de imóveis estes valores podem cair até 20%. Um livro que ensina como baixar o preço dos imóveis durante a negociação é o Livro Negro dos Imóveis que você pode adquirir e baixar hoje mesmo.

Cidade Preço médio do metro quadrado
Média Nacional R$ 6.824
Rio de Janeiro* R$ 9.285
Brasília* R$ 8.381
São Paulo* R$ 7.268
Niterói R$ 6.790
Recife* R$ 5.429
Belo Horizonte* R$ 5.163
Fortaleza* R$ 5.063
São Caetano do Sul R$ 4.893
Florianópolis R$ 4.704
Porto Alegre R$ 4.499
Santo André R$ 4.293
Salvador* R$ 4.192
Vitória R$ 4.133
Curitiba R$ 4.218
São Bernardo do Campo R$ 4.091
Vila Velha R$ 3.583

FEIRÃO DA CASA PRÓPRIA 2013 DA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

Começou o Feirão da Caixa 2013 onde é possível comprar casas e apartamentos com algumas vantagens só que também com alguns riscos. O feirão acontece nas cidades de São Paulo, Fortaleza, Curitiba, Uberlândia, Rio de Janeiro, Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Florianópolis, Belém, Campinas e Recife.

Estes feirões da Caixa Econômica Federal acontecem em dias diferentes. O primeiro acontece em São Paulo e na cidade de Fortaleza. Só em São Paulo serão 136 mil imóveis e em 20 mil em Fortaleza. Este já será o 9º Feirão da Casa Própria e além dos imóveis novos você também encontrará imóveis na planta e imóveis usados oferecidos por construtoras, incorporadoras e imobiliárias da cidade.

No Feirão da Caixa de São Paulo serão 54.883 imóveis novos ou em construção (imóveis na planta) e 81.897 imóveis usados localizados em diversas regiões como nas regiões de São Paulo, Grande São Paulo e Baixada Santista. Os preços dos imóveis podem variar entre R$ 100 mil a R$ 1,67 milhão.

Financiamento poderá ser pago a partir de janeiro

É importante tomar cuidado com esta promoção do financiamento da Caixa onde o primeiro pagamento só será feito em janeiro do próximo ano. A condição é valida para financiamentos com recursos do Fundo de Garatia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). Existem juros que certamente irão correr durante todo ano de 2013 e que serão pagos durante o financiamento. Você estará apenas adiando o pagamento e aumentando a quantidade de dinheiro que será gasta com pagamento de juros.

A condição especial será oferecida também pelas agências do banco para todos os clientes, mas será, inicialmente, exclusiva para os meses de maio e junho. Não ocorreu mudança nas taxas de juros devido ao feirão. Para os imóveis de até R$ 500 mil, os juros praticados atualmente pela Caixa variam de 7,7% ao ano a 8,85% ao ano, para uma prazo de até 360 meses.

Todos os especialistas alertam que não se deve comprar imóvel em feirão já que as pessoas tendem a comprar o imóvel sem visitar, sem avaliar a documentação, sem fazer simulações, sem comparar os imóveis oferecidos e sem ter tempo suficiente para refletir e ponderar pontos fortes e fracos sobre as diversas opções oferecidas. Antes de se aventurar comprando o imóvel na planta é fundamental você se preparar para os riscos que este tipo de compra envolve. Recomendo que você adquira hoje mesmo o Livro Negro dos Imóveis clicando aqui

IMÓVEIS PARA INVESTIR NO RIO DE JANEIRO

Nos últimos anos foi possível observar o mercado imobiliário brasileiro oferecendo oportunidades de investimento jamais vistas antes. Até mesmo quem mora em outros países já percebeu que o investimento em imóveis no Brasil possui alta taxa de rentabilidade. Muita gente considera que o investimento imobiliário é o mais seguro de todos. É classificado como um investimento conservador apesar de existirem riscos.

O problema é que o país precisa continuar crescendo para que o mercado imobiliário continua se expandindo. Depois da crise de 2008 o Brasil cresceu e o mercado imobiliário se expandiu. Devido aos investimentos relacionados aos eventos esportivos que irão acontecer no Rio de Janeiro a cidade já possui hoje bairros com o metro quadrado mais caro do Brasil e constando na lista dos mais caros do mundo.

Isto está fazendo muita gente migrar suas atenções para outros bairros da cidade. Até mesmo imóveis localizados em comunidades carentes que foram pacificadas se tornaram boas oportunidades de investimento. O preço do metro quadrado na cidade do Rio de Janeiro mais que duplicou em alguns bairros nos últimos cinco anos. Veja dicas de como investir em imóveis no Rio de Janeiro. e aproveite para conhecer o livro que ensina como ganhar dinheiro investindo em imóveis.

DICAS PARA FINANCIAR APARTAMENTO E CASA

Durante toda vida a maioria das pessoas só compram imóveis 1 ou no máximo 2 vezes. Por isto é a compra mais difícil, que exige mais cuidado, mais atenção e mais informação. Não existe espaço para arrependimento e erros, afinal de contas esta também será o produto mais caro que você irá comprar.

Existem algumas dicas importantes para você que pretende comprar imóveis nos próximos meses ou anos possa fazer isto da melhor forma, principalmente se não tem dinheiro e pretende comprar financiado.

1. Simulação de vida com financiamento
Pagar um financiamento na maioria das vezes significa um sacrifício que será sofrido por toda família. Faça uma reunião na sua família para conversar sobre isto. Até 30% da sua renda familiar poderá ser comprometida com o financiamento. Isto significa que do dia para a noite sua renda irá cair e você terá que sobreviver com esta mudança por décadas. O ideal é que durante 6 meses ou 12 meses você faça o exercício de simular a vida sem estes 30%. Todos os meses retire 30% da sua renda e guarde em uma poupança ou fundo de renda fixa. Tente viver sem este dinheiro. Toda a família terá que colaborar. Se durante estes tempo você conseguir sobreviver feliz, sem brigas, sem problemas financeiros, então você está preparado para enfrentar o financiamento. Já se conflitos existirem você terá que se organizar para cortar gastos e adequar seus custos mensais com a sua nova renda, ou terá que procurar alternativas para aumentar sua renda familiar. E isto se faz mudando de emprego, trabalhando horas extras, iniciando um negócio em casa que permita ganhar dinheiro depois que você chega do trabalho, quem sabe abrir um pequeno negócio.

2. Defina onde você quer morar e onde você pode morar
Querer morar em um determinado bairro ou em um tipo de imóvel é direito de todos. O problema é que querer nem sempre é poder. Você precisa definir na sua cabeça que tipo de imóvel, que bairro e que preço você poderá comprar. Muito cuidado com as emoções. É melhor que você escolha um imóvel mais simples e barato para manter sua qualidade de vida e sua estabilidade financeira do que arriscar um imóvel mais caro para depois viver a vida infernal do devedor que dorme a acorda com medo de ser despejado por não conseguir pagar as prestações. E hoje em dia basta 3 meses parcelas do financiamento atrasadas para que o banco faça um leilão do seu imóvel. E o que não faltam são pessoas que compram imóveis em leilões com o morador dentro. Depois elas providenciam o despejo e colocam o imóvel para vender.

3. Aprenda a juntar dinheiro
Aproveite a simulação de vida com financiamento que você irá fazer para juntar dinheiro. É fundamental que você tenha no mínimo 20% do valor do imóvel guardado para dar de entrada. Os bancos atualmente não financiam 100% do imóvel e isto nem é indicado. O ideal mesmo seria você pagar o máximo possível de entrada, algo em torno de 50% do valor do imóvel ou mais. Com isto você financiaria uma parte pequena, pagaria menos juros, teria parcelas menores, ficaria menos tempo pagando prestações. Se você não sabe juntar dinheiro existe um bom livro chamado “Como Investir Dinheiro” que ensina como e onde guardar dinheiro para juntar e depois comprar aquilo que você deseja.

4. More de aluguel ou de favor antes de financiar
Se você é jovem, mora com seus pais, aproveite esta situação. Junte o máximo possível de dinheiro enquanto mora com seus pais para poder dar entrada na sua casa. Não caia na besteira de sair da casa da sua família para morar de aluguel, os custos são muito elevados e o dinheiro que você gastará a toa fará falta na hora de comprar seu imóvel. Aproveite a hospitalidade dos seus pais. Já se você caiu na besteira de casar e sair da casa dos seus pais para morar de aluguel, ainda existe uma solução. More em um imóvel de padrão inferior a sua condição financeira. Não faça a bobagem de morar em um imóvel com padrão elevado, em bairros caros, em lugares onde você nunca terá condições de morar. O ideal é que você mantenha seu padrão de moradia em um nível abaixo do que você pode pagar para que sobre o máximo de dinheiro possível no final do mês para que você possa juntar. Escolha um imóvel para alugar perto do seu trabalho ou que ofereça boas opções de transporte público. Desta forma, além de economizar com o aluguel você ainda economizará com o transporte.

5. Faça simulações de financiamento
O ideal é que você faça inúmeras simulações nos mais diversos bancos. Existe a simulação de financiamento no site da Caixa, mas outros bancos também financiam imóveis e devem ser consultados até para que você possa fazer comparações. Financiar um imóvel é coisa séria e a operação é de risco. Se você for demitido, se acontecer alguma coisa no futuro que faça sua renda familiar cair, o banco não terá pena de você. Não adiantará falar para o banco que você está desempregado, que está doente, que sofreu um acidente, o banco não tem coração. O seu imóvel será tomado e leiloado e você ficará sem o imóvel, sem dinheiro e com uma dívida para pagar. Isto porque existem casos onde a dívida é tão elevada que o dinheiro arrecadado no leilão não é suficiente para pagar a dívida. Com isto além de perder a casa você ainda fica devendo.

6. Não compre imóveis de padrão superior ao seu
Tome cuidado com o tipo de imóvel que você vai comprar. Eu já vi pessoas humildes comprando imóveis de padrão elevado só porque iriam pagar o financiamento em 35 anos e em suaves prestações. O problema é que elas não contavam que teriam que pagar um condomínio de R$ 700,00 por toda vida. Imóveis de padrão elevado possuem condomínios caros. E com o passar dos anos, a medida que o imóvel vai se desgastando o preço do condomínio tende a subir ainda mais. Compre um imóvel de padrão equivalente ou inferior a sua renda familiar.

7. Procure se informar sobre comprar o imóvel com segurança
Comprar imóvel é muito perigoso, arriscado e burocrático. A justiça e o PROCON estão lotados de reclamações de pessoas que comprarem imóvel sem se informarem direito sobre os procedimentos de segurança. Muitos falsos corretores, imobiliárias e construtoras acabam abusando do consumidor, não respeitando os direitos do código de defesa do consumidor e em alguns casos até cometem crimes graves. Você pode evitar este tipo de problema se procurar informação. Eu recomendo que você adquira o Livro Negro dos Imóveis, veja como baixa-lo na internet. Ninguém deveria comprar imóveis antes de ler este livro.

8. Pague menos juros possível
Existem pessoas que fazem o financiamento olhando só o valor da parcela. Com isto elas acabam comprando um imóvel e pagando por dois imóveis. Um é o dela, o outro é o imóvel que ela dará para o banco de presente por ter pegado dinheiro emprestado. Financie a menor parte possível. Junte o máximo possível.

9. Financiamento custa caro
Para comprar um pequeno apartamento novo de 60 metros quadrados em um bairro bom de uma grande capital é necessário R$ 400 mil ou mais. Com o mesmo valor você pode comprar um imóvel usado com o dobro de tamanho em um bairro mais afastado. Também é possível optar por uma casa em um bairro menos central mas onde existem meios de transporte. Financiar um imóvel de 400 mil para pagar em 20 anos significa ter que juntar primeiro 80 mil no banco para pagar entrada. Como a sua renda familiar comprometida não pode passar de 30% seria necessário que a soma dos salários da sua família (esposa, marido, filhos) fosse superior a R$ 14.000,00.

Se você tem algum amigo ou amiga que pretende comprar imóvel nos próximos meses compartilhe estas dicas.